fbpx

Blog

5 maneiras de evitar o erro médico nos atendimentos

erro médico
Atendimento Médico

5 maneiras de evitar o erro médico nos atendimentos

O erro médico é uma das principais preocupações dos profissionais, e uma das causas mais comuns da judicialização da medicina.

Diversos fatores podem levar ao erro médico, e neste artigo vamos falar sobre como os profissionais podem evitá-lo.

O que é um erro médico?

Em caso de algum dano ao paciente por ausência de informação, a responsabilidade recai totalmente sobre o médico. O distanciamento entre o profissional e o paciente pode fragilizar a relação, causando também algum prejuízo ao diagnóstico.

Existem vários níveis de erro médico, dos menos graves aos mais graves, e cada um deles tem uma reação diferente.

Vale lembrar que os efeitos causados pelo erro do profissional de saúde incidem não somente sobre o paciente. Além deste, seus familiares também são afetados negativamente, bem como o próprio profissional e a equipe de saúde.

Como base de definição sobre erro médico, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina (CRM-SC) conceitua:

  • Erro médico é o dano, o agravo à saúde do paciente provocado pela ação ou inação do médico no exercício da profissão e sem a intenção de cometê-lo;
  • É a conduta profissional inadequada que supõe uma inobservância técnica capaz de produzir um dano à vida ou à saúde de outrem, caracterizada por imperícia, imprudência ou negligência;
  • A falha do médico no exercício da profissão. É o mau resultado ou resultado adverso decorrente da ação ou da omissão do médico por inobservância de conduta técnica, estando o profissional em pleno exercício de suas faculdades mentais.

O dano ou mau resultado decorrente da conduta médica pode variar de acordo com o procedimento. Os danos podem ser de ordem patrimonial e moral e, via de regra, devem ser reparados pelo causador.

O dano patrimonial, material ou emergente, relaciona-se imediatamente com os interesses econômicos da vítima. Como exemplo, podemos citar um paciente que terá o retorno ao trabalho adiado por conta de uma cirurgia mal sucedida.

Já o dano moral é aquele que está ligado às questões não-materiais, mas aos prejuízos ao patrimônio ideal. Nesse rol estão as lesões aos interesses da personalidade, como: vida, integridade corporal, intimidade, honra, decoro e liberdade. Existem inúmeros casos de órgãos vitais afetados, operações estéticas frustradas, além de vidas perdidas por erro médico.

Para cada um dos casos, a judicialização da medicina determina uma reparação diferente. Apesar de ambos serem fundamentais e estarem preconizados em lei, não há base de comparação entre uma ofensa à perda de uma vida, por exemplo.

Entre os tipos de erro médico mais comuns, temos:

  • Diagnóstico errado ou demorado;
  • Erro em cirurgias e operações;
  • Tratamentos inadequados e prescrição de medicamentos impróprios;
  • Ausência de consentimento informado;
  • Omissão ou ausência de informações sobre o quadro de saúde do paciente;
  • Hiperinformação e excesso no número de procedimentos e de pedidos de realização de exames desnecessários;
  • Mau uso dos instrumentos e equipamentos médicos.

Porém, depois de toda a exposição, é importante lembrar que, enquanto não há erro médico sem dano, o contrário é verdadeiro. Muitos danos em pacientes podem ocorrer na relação médico-paciente devido a outros fatores que não erro médico.

O que pode causar um erro médico?

A determinação do que seja erro médico não depende apenas do testemunho do paciente. A má prática profissional só é estabelecida, de fato, quando há a confirmação de alguns fatores importantes.

São eles:

  • O dano causado ao paciente;
  • O erro de conduta do médico;
  • O nexo, que trata da relação entre dano e erro.

Após confirmados esses três aspectos, pode-se determinar que o profissional cometeu erro médico.

Assim como ocorre em outras áreas, são muitos os motivos que levam o profissional da saúde a cometer equívocos. Citamos os fatores estruturais da rede pública de saúde, psicológicos, emocionais e até mesmo aqueles relacionados à formação acadêmica. Além destes, existem muitos outros que também podem ser prejudiciais para o exercício da profissão.

A precariedade da saúde pública no Brasil é um dos mais alarmantes problemas enfrentados pela população. E muitos casos de erro médico podem ocorrer justamente por causa das dificuldades que o profissional encontra no local de trabalho.

O colapso na rede pública foi escancarado e mais profundamente observado durante a pandemia de coronavírus. A falta de leitos e de profissionais fez com que o problema tomasse enormes proporções, chegando à beira do caos.

Entretanto, a saúde pública no Brasil enfrenta desafios há décadas. E não é de hoje que muitos erros médicos são cometidos por conta da falta de estrutura, instrumentos e do excesso de trabalho.

Outras causas comuns

erro médico

Outro fator pode estar associado à questões psicológicas e emocionais, muitas vezes frutos do problema anterior. O burnout é um exemplo que está diretamente ligado à falta de profissionais de saúde no país, e a consequente demanda excessiva.

São muitas as dificuldades enfrentadas por esses profissionais, especialmente aqueles que estão mais expostos ao risco. Mais uma vez citamos a pandemia de Covid-19, que colocou em risco milhares de profissionais. Estes tinham sob sua responsabilidade cuidar de milhões de pacientes infectados, enquanto temiam pela própria vida.

Além disso, o distanciamento social provocado pela pandemia fez com que os médicos não mantivessem contato com amigos e familiares. Esse quadro pode agravar quadros emocionais e psíquicos já negativamente afetados.

Assim, o médico pode apresentar estresse, ansiedade, insônia e outros diagnósticos que também podem incorrer em erros.

Citamos também a má formação ou insuficiência de conhecimento como um dos fatores para que profissionais cometam erros. O aumento do número de faculdades de medicina, e o surgimento de novas vagas, pode ser uma solução e um problema ao mesmo tempo.

Enquanto o país precisa, realmente, de novos profissionais de saúde, o excesso de cursos não necessariamente pode ser a solução.

Atualmente, o Brasil ocupa a segunda colocação no número de faculdades de medicina, ficando atrás apenas da Índia. De 2000 a 2020, houve um acréscimo de quase quatro vezes nos pedidos de abertura concedidos para cursos superiores da área. Enquanto em 2000 havia 85 cursos liberados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), em 2020 esse número saltou para 305.

Esse expressivo aumento ocasionou uma defasagem no controle qualitativo do ensino prestado pelas universidades.

Além disso, especialistas defendem que os cursos de medicina não abordam com suficiência temas relacionados à segurança. Assuntos como erro assistencial e segurança do paciente são tratados de forma inadequada nos currículos.

Além disso, muitos outros fatores podem prejudicar o trabalho do médico e a assistência que ele dá ao paciente. A forma como o médico transmite a informação ao paciente, por exemplo, também pode ser listada como um fator.

Maneiras para evitar o erro médico

Assim como todo profissional, o médico deve procurar evitar cometer erros e equívocos durante toda a sua relação com o paciente. Sendo assim, trazemos neste artigo cinco maneiras de como o profissional pode fazer para evitar erros.

São elas:

  • Atenção;
  • Cuidado;
  • Checagem;
  • Emocional e psicológico;
  • Formação continuada.

Atenção

O médico deve manter total atenção durante os atendimentos, desde a primeira consulta até a alta do paciente.

O foco e a concentração são dois aspectos intrínsecos da atividade médica, e devem ser premissas durante os procedimentos.

A atenção deve ser ainda redobrada quando da ocorrência de cirurgias e operações, especialmente as mais complexas.

Cuidado

O paciente deve sentir-se seguro, e ter a sensação de confiança no médico. O olhar atento e a proximidade do profissional na relação médico-paciente faz toda a diferença.

Esse cuidado é particularmente importante quando o paciente está em busca de tratamento e cura.

A confiança é estabelecida desde o primeiro contato, e deve ser mantida ao longo de todo o processo de atendimento, até a alta hospitalar.

Checagem

Aparelhos e instrumentos utilizados nos procedimentos devem ser checados e testados anteriormente.

Isso evita que haja alguma falha não-humana nas operações.

Vale lembrar que, ainda que o dano seja causado por uma máquina, a responsabilidade quanto à integridade do paciente é do médico. A checagem é indispensável para manter a qualidade dos equipamentos, e trazer a segurança devida ao paciente.

Emocional e psicológico

Não é indicado ao profissional que realize atendimentos e consultas quando seu emocional ou psicológico estiverem abalados. E isso pode ocorrer por diversos fatores, como ansiedade, tristeza, depressão, medo, traumas, entre outros.

O burnout e o excesso de atividades profissionais podem, inclusive, gerar muitos desses sintomas. O indicado é procurar ajuda, e retornar ao trabalho apenas quando o emocional e psicológico estiverem novamente saudáveis.

Formação continuada

O profissional deve buscar sempre a atualização sobre os conceitos e as especialidades médicos.

Este último aspecto é fundamental para atenuar as chances de erro médico, já que as atualizações são constantes. Uma formação continuada permite que o profissional de saúde conheça novos métodos e tratamentos.

Muitos deles são mais eficazes e menos invasivos, trazendo menos desconforto e pronta recuperação ao paciente. Porém, para conhecê-los, é necessária a exposição a cursos de formação, cursos de extensão universitária e especializações.

A Mediflix é uma plataforma que apoia e desenvolve a formação continuada de médicos e outros profissionais da saúde.

Artigos sobre carreira na Mediflix

A Mediflix está sempre preocupada em trazer dados, notícias e informações atualizadas para o público.

Se você se interessou por este assunto, não deixe de acompanhar o nosso blog no site oficial da Mediflix. Nele você encontra muitos artigos pertinentes sobre a carreira médica e formação de profissionais de saúde.

E para ter mais informações sobre erro médico e muitas outras notícias, não deixe de acessar o portal da Mediflix.

Comment (1)

  1. Alfredo Mujaide Maulate

    Gostava de ter Este texto no meu email

Deixe sua mensagem aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado.