Blog

Dez fatos sobre o curso e a carreira de Medicina

medicina
Dicas

Dez fatos sobre o curso e a carreira de Medicina

A carreira da medicina é uma das mais desejadas pelos estudantes em todo o país. A cada ano, a relação de candidatos por vaga para o curso de medicina se torna ainda mais elevada. Seja pelo reconhecimento social que a profissão proporciona, ou pelo ofício em si, a carreira está entre as mais valorizadas há muitos anos.

Esse fato desperta diversas questões aos que estão entrando na formação da profissão, como áreas de atuação, cursos, grade curricular, especializações e outras que precisam ser discutidas. Por essa razão, preparamos um conteúdo esclarecedor sobre essas e outras informações acerca da carreira de medicina. Acompanhe!

O curso de medicina

O curso de medicina tem como objetivo formar profissionais que estejam aptos a trabalhar na manutenção e recuperação da saúde dos pacientes. Para isso, o estudante deve aprender a diagnosticar, tratar e prevenir doenças, além de promover a saúde e bem-estar aos indivíduos. 

O conhecimento sobre o corpo humano é primordial. Além de anatomia, matérias como bioquímica, imunologia e histologia geralmente aparecem com destaque nos primeiros anos de graduação do estudante que busca a carreira de medicina, servindo de base para procedimentos e conhecimentos no futuro.

Gradativamente, surgem disciplinar que apresentam maior ênfase no estudo das doenças e manifestações no organismo, como patologia e fisiopatologia. O aluno passa então a conhecer o histórico de doenças e procedimentos médicos que devem ser adotados, segundo comprovações científicas.

Logo surgem as aulas práticas na grade curricular do estudante de medicina, realizadas em hospitais, unidades básicas de saúde e outros centros em que o aluno possa se especializar no atendimento de pacientes com orientações de professores e equipe multiprofissional.

Grade de formação

A graduação em medicina é voltada para a área de ciências da saúde, com duração de 6 anos. Os 4 primeiros anos servem em geral para que o aluno entenda de maneira ampla o funcionamento da profissão. Já os dois anos finais, são voltados para o direcionamento de uma área especializada, na residência médica.

Para entrar na carreira de medicina, o aluno deve dedicar-se em tempo integral, com aulas de manhã e no período da tarde, a um curso dividido em 3 fases: grade fundamental, etapa pré-clínica e etapa clínica.

Grade fundamental

Como vimos, o começo do curso apresenta ao estudante fundamentos teóricos capazes de sustentar a atuação do profissional. Essa fase é formada por disciplinas básicas nas áreas de saúde, como anatomia, farmacologia, biologia, genética, e bioquímica. Algumas são apresentadas com a associação de aulas práticas e teóricos, facilitando a compreensão e auxiliando na aplicação das teorias.

Etapa pré-clínica

Na fase pré-clínica, o estudante que busca formação para carreira de medicina tem a atenção voltada para estudos de doenças e suas manifestações no organismo. Disciplinas como epidemiologia auxiliam o aluno na análise das famílias de doenças e epidemias, entendendo seu desenvolvimento, conhecendo suas manifestações e formas de proceder futuramente.

Etapa clínica

A etapa clínica é a fase final da graduação, em que o estudante passa seus últimos dois anos conciliando estudos na universidade e plantões em hospitais, atuando praticamente como um profissional formado, no entanto, sempre com a supervisão de médicos experientes. 

Dessa forma, o contato com pacientes, colaboradores e ações realizadas direcionam o estudante para a etapa posterior à sua formação, conhecida como especialização, já que sua graduação é responsável pela formação generalista.

Cenário atual na carreira de medicina

Antes mesmo de começar a investir na carreira de medicina, o estudante deve estar ciente da dedicação, jornada exaustiva e controle emocional para lidar com os desafios do curso e da profissão. 

A rotina intensa é parte da vida do médico, no entanto, o avanço na tecnologia vem provocando mudanças na forma de exercer a medicina. Não basta que o profissional realize apenas uma boa faculdade para garantir sua vaga no mercado de trabalho. A busca por especializações e atualizações é fundamental para acompanhar as novidades da área médica.

Inteligência artificial, realidade virtual, sensores vestíveis e telemedicina são alguns exemplos de inovações adotadas na área a saúde. Quando maior a atualização do profissional, mais ampla a possibilidade de obter bons resultados conquistando reconhecimento de seus pacientes.

Mercado de trabalho

Apesar da grande quantidade de profissionais concluindo o curso de graduação a cada ano, o mercado para a carreira de medicina está longe de tornar-se saturado. No entanto, um grande problema nessa área é a distribuição geográfica. Há excesso de profissionais nas capitais e grandes centros urbanos, deixando regiões interioranas e estados descentralizados descobertos.

Especialidades

A distribuição desigual de médicos também envolve especialidades da atuação. Mais da metade de todos os profissionais em exercício no país estão distribuídos nas seguintes áreas tradicionais segundo o CFM (Conselho Federal de Medicina):cardiologia, pediatria, cirurgia geral, anestesiologia, ginecologia e obstetrícia, ortopedia, medicina do trabalho e oftalmologia.

Contudo, as especialidades mais promissoras são as menos procuradas, como medicina diagnóstica, medicina esportiva, genética médica e medicina nuclear. É importante que os estudantes que almejam seguir a carreira de medicina estejam atentos à transformações do mercado e avanços tecnológicos, questões que podem mostrar o crescimento de novas áreas.

Áreas de atuação do médico

Após finalizar a graduação, o profissional pode atuar no setor público ou privado, exercendo atividades técnicas relacionadas ao planejamento e implementação das ações e políticas de saúde. Além disso, ainda atuar no atendimento em unidades básicas de saúde, hospitais, clínicas médicas e consultórios.

O profissional também pode escolher entre exercer a clínica geral, formação obtida pela graduação, ou ingressar em uma área específica de cuidados, as especialidades. São 53 áreas reconhecidas no país pela CFM, envolvendo campos de promoção, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação em saúde.

A importância de escolher o quanto antes

Diante de todas opções, é natural que o profissional recém-formado tenha muitas dúvidas no momento de escolher sobre a área de atuação. Dessa maneira, a melhor alternativa é começar a analisar preferências e afinidades desde o primeiro dia de aula, avaliando qual área vale a pena investir, e o que é melhor ficar de lado. 

10 fatos sobre o curso e a carreira de medicina

Após repassarmos um pouco da experiência do estudante de medicina em suas etapas de estudo, é hora de conhecer alguns fatos interessantes sobre essa profissão que continua a tornar-se grande desejo de formação.

1. Ciência antiga

Registros indicam que a carreira de medicina já existia por volta dos anos 1700 a 1200 a.c. Na mesopotâmia alguns procedimentos médicos já eram realizados. Os registros, presentes no Código de Hamurabi, apresentam leis e informações sobre pagamentos de tratamentos que tiveram bons resultados, assim como punições a médicos que falhavam na época. 

No mesmo período, a população da Índia utilizava técnicas medicinais, como ayurveda, harmonizando corpo, mente e alma, além de realizar cirurgias para retirada de tumores. Também famosa pela sua atuação milenar, a medicina chinesa já apresentava conhecimento e produtos alternativos muito antes de outros povos.

2. Variedade de especialidades

Na medicina, as especializações pioneiras são pediatria, cardiologia e psiquiatria, com o surgimento de áreas como microbiologia, bioquímica e genética somente no século XX, assim como muitas outras, totalizando hoje 53 regulamentadas no Brasil.

3. 6 anos de duração

O curso que possibilita que o estudante siga a carreira de medicina é o mais longo do Brasil, com duração de 6 anos. Entre o longo período o aluno deve frequentar aulas em tempo integral, com disciplinas lecionadas no período da manhã, tarde, e até mesmo a noite, e plantões incluindo finais de semana e feriados.

4. Estágio no SUS

Foi em julho de 2014 que surgiu a obrigatoriedade para que os alunos interessados em cursar medicina realizem estágios de duração mínima de 2 anos, com 30% da carga horário cumprida com atendimentos no SUS (Sistema Único de Saúde).

5. Graduação e mais estudos

Para entrar preparado e seguir a carreira de medicina com sucesso, o profissional deve continuar seus estudos após formado. São mais 2 anos de residência para adquirir a experiência necessária na área escolhida, e outros 2 estudando a especialização. Além disso, cursos de atualização são essenciais para manter o profissional sempre em dia com as inovações de sua área.

6. Faltam vagas para residência

No Brasil, existem anualmente entre 10 a 11 mil vagas para residências em medicina, enquanto formam-se 16 mil profissionais. Na tentativa de sanar esse problema, muitas escolas são criadas, contudo, sem estrutura especializada para treinamento e formação desses profissionais.

7. Mestrado e doutorado são opções

Para quem deseja seguir área acadêmica, tornando-se pesquisador ou docente, o mestrado e doutorado também são alternativas para os médicos recém-formados. Da mesma maneira, alguns hospitais exigem essa formação para admissão em importantes cargos.

8. Disciplina é fundamental

Para estudantes que escolhem seguir carreira de medicina e também profissionais já formados, a disciplina, assim como foco e perseverança, são fatores essenciais. A profissão exige no mínimo uma década de estudo do indivíduo, além de sua continuidade ao longo da vida para atualização, por isso, é preciso estar seguro das escolhas.

9. É normal ter mais de um emprego

Alguns profissionais escolhem atender em seus consultórios particulares ou trabalhar em clínicas e realizar plantões hospitalares. É comum encontrar médicos que atendem em mais de um lugar, trabalhando até 60 horas por semana, com plantões de 12 ou 24 horas. Muitas vezes, essa é a única alternativa de suprir a alta demanda de pacientes em algumas áreas.

10. Medicina e a tecnologia

A carreira de medicina já aderiu aos avanços tecnológicos há muito tempo, continuando a acompanhar as inovações, principalmente em salas de cirurgia, realização de exames e tratamentos. 

Atualmente, é possível realizar procedimentos a longas distâncias, sem a necessidade do profissional na mesma sala, por meio do uso de câmeras, computadores e robôs. Além disso, a tecnologia facilita atualização do profissional, permitindo acesso à cursos de medicina online por meio de plataformas que podem ser acompanhadas em tablets, computadores e dispositivos móveis.

No artigo de hoje, você acompanhou além de 10 fatos sobre o curso e carreira de medicina, quais as etapas de estudo e áreas de especialização mais procuradas atualmente no mercado de trabalho médico.

 É importante lembrar que a atualização deve ser contínua, mantendo-se sempre a frente com informações e conhecimentos necessários para elevar suas habilidades e garantir seu sucesso. 

Que tal começar agora sua atualização na área médica? Veja os benefícios dos cursos da Mediflix

Comment (1)

  1. […] ressaltar que, na carreira de um profissional da medicina, o foco é de extrema importância. Não é necessário que todo médico siga o mesmo caminho para […]

Deixei sua mensagem aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Tags Populares